Pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) descobriram que grande parte dos dados transferidos pelos 500 aplicativos gratuitos mais populares para celulares Android fazem pouca ou nenhuma diferença para a experiência do usuário.

Dessas comunicações “secretas”, cerca de metade parecem ser de análise, que relatam estatísticas sobre padrões de uso e desempenho do programa e destinam-se a ajudar os desenvolvedores a melhorar as aplicações.

“A parte interessante é que os outros 50 por cento não pode ser atribuída à análise”, diz Julia Rubin, pós-doutorada em Ciência da Computação pelo MIT e Laboratório de Inteligência Artificial (CSAIL), que liderou o novo estudo. “Pode haver uma razão muito boa para esta comunicação secreta. Nós não estamos tentando dizer que ela tem que ser eliminada. Estamos apenas dizendo que o usuário precisa ser informado”.

As aplicações móveis são geralmente proprietária: O seu código fonte não está disponível ao público, e seus desenvolvedores frequentemente tomam cuidado para disfarçar os detalhes da execução dos programas, uma técnica conhecida como ofuscação.

Um aplicativo do Wal-Mart, por exemplo, permite aos usuários digitalizar os códigos de barras dos produtos nas prateleiras das lojas Wal-Mart para saber seus preços. Mas cada vez que ele faz isso, ele também envia informações para um servidor que parece estar associado com o eBay. Ao desabilitar essa conexão os pesquisadores constataram que não houve efeito sobre o comportamento do aplicativo.

Para ler a matéria na integra acesse MIT NEWS.